623239-1919
6299203-1700

Dicas para escolher o seu imóvel

Algumas precauções são necessárias para quem quer adquirir um imóvel e não se arrepender da escolha depois. O primeiro passo é decidir o tipo de imóvel: novo ou usado? Em seguida, há alguns pontos importantes que não podem passar despercebidos também.

Localização

Antes de adquirir o imóvel, verifique a sua localização com relação a aspectos que possam colocá-lo em risco ou desvalorizá-lo em pouco tempo. Observe a incidência do sol, a iluminação e a ventilação. Visitar o imóvel em diferentes horários é a maneira ideal de verificar a situação da sua real localização. Certifique-se que o local possui boa infraestrutura, ou seja, se possui variedade de serviços, comércios, meios de transporte, hospitais e escolas.

Uma boa dica para conhecer um pouco mais sobre as proximidades é conversar com os futuros vizinhos.

O prometido

Verifique se tudo que foi prometido em folhetos e prospectos foi cumprido, principalmente no que se refere ao material, metragem e acabamento.

Certifique-se de que o que consta nos folhetos e prospectos condiz com a planta apresentada. Guarde todo o material promocional do empreendimento, pois ele poderá ser útil em algum momento da negociação.

Também é bom solicitar referências comerciais de outras obras realizadas pela construtora. No caso de imobiliária, verifique se ela possui cadastro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI). Caso contrário, não compre. Além disso, peça para ler a minuta do contrato do imóvel e, se sentir necessidade, leve-a para um advogado especializado na área ou procure o PROCON da sua cidade.

Documentos

Analise a documentação do imóvel e do vendedor e leia o contrato com bastante atenção antes de assiná-lo, observando principalmente o compromisso de compra e venda. Na dúvida, solicite esclarecimentos ao vendedor ou procure um advogado especializado.

E você que já passou por esse processo, como foi o seu planejamento? Ainda está pesquisando? Interaja conosco e compartilhe as suas experiências.

Fonte: Caixa Econômica Federal

Comentários